segunda-feira, 19 de junho de 2017

Messalina - Notícias Populares - 1967


Messalina, mais uma tira na linha de Amores Célebres, criada por Carlos Dulci para o jornal Notícias Populares

Essas séries históricas eram muito populares e eram feitas em quantidade, tanto por autores estrangeiros quanto por artistas nacionais. A biografia de Dulci continua sendo um mistério, mas sabemos que produziu grande volume de material para o NP durante a segunda metade da década de 1960.

sábado, 17 de junho de 2017

As metralhantes aventuras de John Milay - Correio da Manhã - 1970



Com influência dos quadrinhos adultos europeus da segunda metade da década de 1960, como Pravda, Jodelle e Barbarella, esta série foi publicada no Correio da Manhã em 1970 e criada por Ary Koslovsk Paulo César Coutinho.

Arte pope, contracultura e psicodelismo se misturam nas aventuras do "agente de forças ocultas" John Milay, com participações especiais da cantora Marlene, Leila Diniz e do ator e surfista Arduíno Colassanti, na figura de Arduíno Colante.




Mais uma vez o mistério fica por conta dos autores das Metralhantes Aventuras de John Milay. No caso do desenhista, a única referência encontrada foi a do ator Ary Coslov, nome artístico de Ary Koslovsk, nascido em 1942. Na época da publicação da tira teria 27 anos. Pela idade e pela ligação com o mundo artístico pode ser a mesma pessoa.


Quanto ao roteirista, Paulo César Coutinho, existiu um dramaturgo, morto em 1996 e nascido em 1947, teria então 22 anos. Como era ligado à parte de textos, pode ser ele mas, por enquanto, não se pode afirmar com certeza que não seja um homônimo. O próprio Arduíno Colassanti declarou, em entrevista à revista Trip nº 77 que acompanhava a tira pelo jornal, mas jamais conheceu seus autores.




segunda-feira, 12 de junho de 2017

Heróis do Espaço - Notícias Populares - 1967


Heróis do Espaço - série na linha de Flash Gordon criada por Carlos Dulci em 1967.


Carlos Dulci, nessa época, publicava diariamente tiras, ilustrações e charges no jornal Notícias Populares. Devido a essa sua grande produção, podemos supor que Carlos era funcionário do jornal, provavelmente trabalhando no departamento de arte. Infelizmente não há outra informações sobre o mesmo, pelo menos por enquanto.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Crimes que Abalaram São Paulo - Última Hora - 1960


Esta série relata crimes famosos da história de São Paulo. Escrita pelo jornalista M. A. Camacho, conhecido por suas reportagens policiais e romances históricos e pelo grande artista gráfico e pesquisador Ionaldo Cavalcanti, autor do clássico livro O Mundo dos Quadrinhos, aqui sob o pseudônimo de Ilo

Crimes que Abalaram São Paulo foi publicada entre 1960 e 1961 pelo jornal Última Hora e é composta de três relatos: O Crime da Paralítica Teresa Rank; o Crime da Mala e O Crime do Restaurante Chinês.



M. A. Camacho entrevistou o famoso bandido Meneghetti entre 1960, e esse trabalho, além da edição em livro, foi publicado em capítulos no jornal Última Hora. Também escreveu diversas outras obras, todas de caráter sensacionalista.

Considerado pelos críticos da época como autor de subliteratura ou literatura marrom, a sua maior produção incide sobre personagens populares da história universal, que compõe a coleção Camacho, com mais de 20 títulos, dos quais se destacam: A pecadora Salomé no palácio do rei Heródes; Scarface, traficante de mulheres; Messalina, imperatriz do vício e do pecado e Aníbal Vieira, o lampião paulista. 

Na apresentação do livro Elisabel, Sol e Mel da editora Líder - 1975, podemos ler: “Camacho sempre foi um dos primeiros em História Universal nos colégios porque passou. Mais tarde romanceou-a com êxito. Escreve desde os 18 anos, tendo começado nas revistas “Carioca” e “Noite Ilustrada”, do Rio, onde viveu sua juventude. Fon-Fon, O Malho e Vamos Ler foram outras tantas revistas que publicaram seus artigos, sempre com vários pseudônimos. Em SP, foi repórter de Última Hora, deixando- a em 64. O total de livros seus, editados de 50 a 64, atingiu 500 mil distribuídos em diversos títulos, como Frinéia, Çalígula, Meneghetti etc. 24 romances ao todo é o total de sua produção, incluindo Elisabel”. Portugal e Angola compram muito seus romances, e o editor Gallimard, de Paris, mostrou interesse em editá-los em francês, assunto que está em demarches”.

Por ocasião da morte de Ionaldo A. Cavalcanti (1933 - 2002) em 07 de maio de 2002 a Agência Estado noticiou: O pintor e artista gráfico Ionaldo Cavalcanti morreu ontem, no Instituto do Coração (Incor). Ionaldo trabalhou na Última Hora e na Editora Abril, onde foi chefe de arte de várias revistas. Escreveu Esses Incríveis Heróis de Papel, sobre personagens de histórias em quadrinhos.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Espionagem - Notícias Populares - 1984



Espionagem foi uma tira de aventura criada pelo cartunista Roger (Rogerio Silva dos Reis) e derivada de outra criação sua, Agente Ômega

Veiculada em 1984 pelo Notícias Populares, tinha uma pegada erótica e bastante adulta, de acordo com o perfil do público do jornal paulistano.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

As aventuras de Pelezinho - Última Hora - 1964

O Pelezinho de Kanni.




Em janeiro de 1964 o jornal Última Hora estreava uma nova tira em sua seção de esportes: Pelezinho. Foi a primeira vez que o astro do futebol apareceu em uma história em quadrinhos. Como o personagem principal da série, logo em sua primeira aparição, assiste a um jogo do Rei do Futebol, podemos supor que não se tratava do próprio Pelé, mas sim de um jovem com o mesmo apelido do esportista. A tira sobreviveu pelos primeiros meses daquele ano e frequentemente funcionava como uma charge, comentando não só assuntos esportivos, mas também assuntos da pauta política da época, como o governo João Goulart.



O autor, Takuyuki Kanni, nascido em 1938, não era frequentador assíduo das páginas do jornal. Estudante de medicina e desenhista autodidata, fazia trabalhos (imagem acima) para o jornal estudantil O Bisturí, do Centro Acadêmico Oswaldo Cruz da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (nº 96, junho de 1960). O autor aparece no expediente como “Desenhista”. 

Segundo ele, um amigo conhecia o diretor do Última Hora, Jorge Cunha Lima, que estava procurando um cartunista para fazer charges políticas no jornal. Kanni apresentou um personagem negro e de topete que as pessoas associaram a Pelé.

Como o colunista Ricardo Amaral conhecia o jogador, foi feito um contato com o mesmo e uma autorização informal foi dada para o uso do nome Pelezinho. 



Com o advento do golpe militar e o recrudescimento da situação política no país, o UH começou a sofrer uma série de perseguições, o diretor foi afastado e a tira descontinuada. Kanni se distanciou dos desenhos. Formado médico, mudou-se para o interior de São Paulo (Itapeva) onde desenvolveu uma carreira de sucesso na medicina, que já dura mais de 50 anos.



Acima, Kanni em O Pif-Paf.




Kanni retornou aos desenhos semanalmente na década de 1980 com charges políticas de assuntos municipais na Folha do Sul de Itapeva, onde permaneceu por cerca de 25 anos, até o fechamento do jornal.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Ringo Marlow - Notícias Populares - 1967



Carlos Dulci ilustrava, praticamente sozinho, todas as edições do diário paulistano Notícias Populares durante a segunda metade dos anos 1960.



Aproveitando a onda dos spaghetti western, criou para o jornal a série de faroeste Ringo Marlow em 1967.


Nessa série em especial, observamos forte influência do desenhista chileno/argentino Arturo del Castillo. Mas não se trata de simples cópia. Em sua imensa produção podemos notar que Carlos Dulci era um grande desenhista. Infelizmente não há outras informações sobre ele.